Está implícito, pra quem vai a Recife, que na volta é preciso trazer um carregamento de bolo de rolo para os amigos e familiares. Patrimônio imaterial de Pernambuco, reconhecido por lei, diz-se que a iguaria pernambucana surgiu nas fazendas de engenho quando as damas vindas de Portugal, que trouxeram cozinheiros e utensílios de além mar, tentavam reproduzir receitas tradicionais portuguesas, como o rocambole de nozes, mas não encontravam ingredientes. Os cozinheiros precisaram improvisar e, ao invés de pão-de-ló, a massa fininha, com muita manteiga, o açucar feito da cana e a goiabada derretida. Também se diz por aí que por muito tempo o bolo de rolo ficou restrito aos governantes e senhores de engenho antes de se tornar o mais popular doce pernambucano.
Por aqui ele vai muito bem acompanhando o café do meio da tarde!

Deu vontade? Procure a Casa dos Frios. Se não der tempo dá pra comprar por um preço um pouquinho mais caro no quiosque do aeroporto!

Anúncios